Cuidados ao contratar empresas de Otimização (SEO)


Embora os SEOs possam oferecer serviços valiosos aos clientes, alguns SEOs com comportamentos antiéticos são vistos com maus olhos no setor por suas práticas de marketing exageradamente agressivas e suas tentativas de manipular de forma inadequada os resultados dos mecanismos de pesquisa. Práticas que violam nossas diretrizes podem resultar em um ajuste negativo da presença do seu site no Google ou até mesmo na remoção do site do nosso índice. Veja alguns aspectos a serem considerados:

– Tenha cuidado com firmas de SEO e consultores ou agências na web que enviam e-mails inesperados.
Se você receber e-mails não solicitados sobre mecanismos de pesquisa, mantenha o mesmo ceticismo que teria em relação a pílulas dietéticas que “emagrecem durante o sono” ou solicitações para ajudar a transferir o dinheiro de ditadores depostos.

Ninguém pode garantir a classificação em primeiro lugar no Google.
Cuidado com os SEOs que dizem garantir a sua classificação ou ter um “relacionamento privilegiado” com o Google ou que anunciam um “envio prioritário” para o Google. Não existe envio prioritário para o Google. Na verdade, a única forma de enviar um site diretamente ao Google é através da página Adicionar URL, disponibilizada pelo próprio Google ou enviando um Sitemap, e você pode fazer isso por conta própria sem custo algum.

Tome cuidado se uma empresa tiver muitos segredos ou não explicar claramente o que pretende.
Se algo não estiver claro, peça explicações. Se um SEO criar um conteúdo fraudulento ou enganoso em seu nome, como páginas de entrada ou domínios “descartáveis”, o seu site poderá ser removido do índice do Google. Em última análise, você é responsável pelas ações das empresas que contratar. Por isso, é melhor verificar exatamente como pretendem “ajudar” você.

Quais são os abusos mais comuns que o titular de um site pode encontrar?
Um golpe comum é a criação de domínios “de fachada”, que encaminham os usuários para um site por meio de redirecionamentos fraudulentos. Os domínios de fachada normalmente pertencem a um SEO que alega estar trabalhando em nome de um cliente. No entanto, se o relacionamento com o cliente não vingar, o SEO poderá apontar o domínio para outro site ou até mesmo para o domínio de um concorrente. Se isso acontecer, o cliente pagou para criar um site concorrente que pertence ao SEO.

Outra prática ilícita é colocar páginas “de entrada” carregadas de palavras-chave em algum lugar do site do cliente. O SEO promete que isso tornará a página mais relevante para um maior número de consultas. Essa afirmação é inerentemente falsa, já que uma única página é raramente relevante para várias palavras-chave. Pior ainda é que essas páginas de entrada freqüentemente contêm links ocultos que levam também a outros clientes do SEO. Tais páginas de entrada sugam a popularidade dos links do site e encaminham para o SEO e seus outros clientes, que podem ter sites com conteúdo ilegal ou ofensivo.

Essas dicas foram selecionadas entre outras disponíveis em: Otimização de mecanismos de pesquisa (SEO).

Fonte: Google.com


Categoria: Otimização de Sites (SEO)